Monitorando a restauração da Mata Atlântica a partir do espaço: uma abordagem de integração de dados de sensoriamento remoto de múltiplas fontes em larga escala

Dados Gerais

Localização
São Paulo - Brasil
Início
junho/2020

Vários projetos de restauração de paisagem têm sido propostos para garantir que as florestas continuem a fornecer benefícios importantes para as pessoas e a natureza. Mas a restauração florestal tem sido historicamente implementada como uma atividade local. Assim, a transição da escala do talhão para a escala paisagística traz muitos desafios ao monitoramento dos projetos de restauração. O sensoriamento remoto é uma grande promessa para superar esses desafios, uma vez que sensores a bordo de satélites permitem monitorar a restauração florestal em larga escala. Vários dados de satélite estão disponíveis (por exemplo, Landsat, Sentinel2, Rapideye e Skysat) com diferentes resoluções espaciais, espectrais e temporais. Em vez de escolher uma dessas fontes de dados, uma estratégia que pode ser usada para melhorar ainda mais a precisão é a integração de várias fontes para gerar um produto final. Assim, o objetivo principal deste estudo é avaliar o potencial de dados orbitais multisensores para permitir o monitoramento em larga escala da restauração florestal em termos de distinção de tipologias florestais e estágios sucessionais e quantificação da estrutura florestal e atributos de diversidade da Mata Atlântica para o estado de São Paulo.

LASTROP - ESALQ - USP
Avenida Pádua Dias   11   São Dimas
Piracicaba   SP   13418 900   Brasil
19  3447 6603
ESALQ / USP - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz