Testando diferentes metodologias de avaliação de danos e desperdícios causados pelo manejo madeireiro empresarial em floresta ombrófila densa na Amazônia brasileira.

Dados Gerais

Localização
Paragominas-PA, no Centro de Treinamento em Manejo Florestal Roberto Bauch.
Início
2010
Equipe
Prof. Edson Vidal, Mestrandos Carine Klauberg e Carlos Silva e Estudante de graduação Marina Montó (LASTROP) e Marco Lentini, Iran Pires e Paulo Bittencourt (IFT)
Apoio
CNPq

Objetivo

Testar diferentes metodologias de amostragem e determinar o número, forma e tamanho de parcelas estatisticamente mais representativas para avaliar os danos e desperdícios gerados pelo manejo madeireiro em floresta ombrófila na Amazônia brasileira.

Descrição do experimento

A área total do experimento é de 26 há onde estão sendo testadas quatro metodologias de amostragem (Amostragem Aleatória Simples, Amostragem Sistemática, Método dos Quadrantes e Método de Prodan). Para cada tipo de amostragem testada estão sendo combinados diferentes tamanhos, formas e número de amostras. O experimento foi dividido em três fases, sendo cada fase dividida quatro etapas seqüenciais. A primeira etapa foi em campo, com a realização do censo florestal pré-exploratório. A segunda em campo com o acompanhamento das atividades de exploração. A terceira em campo, com a avaliação dos danos e desperdícios resultantes da exploração madeireira (censo florestal pós-exploratório). A quarta em escritório, com o processamento dos dados, avaliação de danos e desperdícios, teste das metodologias de amostragem e avaliação de número, forma e tamanho de parcelas.

Avaliações em andamento

Simulação de amostragem por intensidade amostral e tamanho de parcela.

LASTROP - ESALQ - USP
Avenida Pádua Dias   11   São Dimas
Piracicaba   SP   13418 900   Brasil
19  3447 6603
ESALQ / USP - Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz